terça-feira, 26 de dezembro de 2006

Sobre a mensagem de Natal do PM

Diz-nos às tantas:

"Sei que o Governo está a pedir a todos um esforço maior, mas os portugueses sabem bem que nenhum país progride sem um esforço maior de todos os seus cidadãos. Não há alternativa ao trabalho árduo."

Será que o "trabalho árduo" é a tolerância de ponto de hoje, 26, concedida aos funcionários da administração central? São estas incoerências entre o discurso e a prática que me inibem de considerar meritória a actuação do actual Governo de Portugal.

3 comentários:

Sérgio Oliveira disse...

Viva André e excelente blog!!!

Tenho pena de não ter visto o discurso do PM, mas penso que o mérito só virá quando tomar medidas de fundo relativamente à despesa pública.

E irem trabalhar no dia 26 só iria aumentar essa despesa... de electricidade, de água, etc ... foi portanto uma medida superficial.
Isto face à eterna questão da produtividade...

Gostava de ver um governo com mais coragem embora tenha já relevado o único caminho a seguir.

Um excelente ano para ti com mais ou menos flexigurança!!!

AAC disse...

Meu caro Sérgio, muito obrigado por te teres dado ao trabalho de postar um comentário.

É claro que dada a baixíssima produtividade de muitos serviços do funcionalismo público (não todos, reconheço) se calhar mais vale dar tolerâncias, e evitam-se alguns custos variáveis. O problema está em quem necessita de contactar ou usufruir desses serviços, está a trabalhar, e vê-se na contigência de ter esperar mais um dia...

Anónimo disse...

Olha olha, eu também não vi nem ouvi o PM a discursar e ainda bem.
Ficava mal disposto....
Tolerancia dia 26, produtividade eheheheheheh, cantigas da minha rua, quanto poupou o ESTADO em subsidios de almoços e regalias, ajudas de custos, em horas extras.
Façam contas e reparem que vale a pena dar um dia de tolerancia ahahahah.
touaqui42