terça-feira, 23 de setembro de 2008

Liberdade de Educação

Convido quem por aqui passar a ler este artigo. Num país que se dedica a formar analfabetos funcionais - quem tiver filhos no 1.º Ciclo sabe do que estou a falar - a única solução que resta para o futuro da comunidade educativa actual é a liberdade de educação, e essa liberdade só é possível com o cheque-ensino.

Ouvir ontem uma mãe na reunião de pais, professora de Matemática do 3.º Ciclo, a pedir encarecidamente ao professor de uma turma do 3.º ano para lhes ensinar a tabuada deixou-me derreado. Contava ela aos restantes pais que mais de 75% dos seus actuais alunos não sabe a tabuada. A tabuada, senhoras e senhores! O básico dos básicos!

E depois ver na televisão um Governo a fazer publicidade à Intel e à JP Sá Couto é deprimente. Que querem?

3 comentários:

joaquim disse...

Tabuada para quê?

Já está "decidido" que o pessoal chega ao 9º ano e tem de passar todo!

Por isso estudar para quê?

Dizem que é para ser como lá fora!

Mas parece que lá fora estudam e por isso é que passam!

Pobre educação!!!

Abraço amigo em Cristo

André A. Correia disse...

Isto está bonito, está. Também li o grande desígnio governamental, o que me deixou outra vez derreado.

Muitas vezes penso para mim se não valeria a pena pô-los a estudar o quanto antes lá fora...

Maria Marques disse...

Só há mesmo uma solução: irmos buscar os nossos livros desde a primeira classe e ensinarmos nós aos nossos filhos o que os génios da 5 de Outubro se esquecem de colocar nos programas. Como diz o Joaquim, o que lhes interessa é as estatísticas; é indiferente se as crianças e adolescentes aprendem alguma coisinha que lhes seja últil para o futuro.

E sim, isto só termina quando os pais puderem escolher a escola ou colégio onde colocarem os filhos.